Mandetta: "Em final de abril o nosso sistema de saúde entra em colapso"
Foto: Reprodução / EBC

Semana más ainda estão por vir no Brasil. Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta afirmou em entrevista coletiva nesta sexta-feira (20) que o sistema de saúde nacional passará por maus bocados no final de abril. Para ele, a situação crítica da pandemia do novo coronavírus no País seguirá até agosto.

"Nós temos um tempo para ganhar, mas, claramente, em final de abril o nosso sistema de saúde entra em colapso. O que é o colapso? É quando você pode ter o dinheiro, o plano de saúde, a ordem judicial, mas simplesmente não há o sistema para você entrar. É o que a Itália está vivenciando atualmente. Não tem onde entrar. [Para] evitar esse colapso, eventualmente, pode ser necessário segurar a movimentação para ver se consegue diminuir a transmissão. Quando a gente toma uma medida de segurar 14 dias, por exemplo, o impacto só é sentido 28 dias depois, porque a cadeia de transmissão é sustentada e ela quebra", alertou Mandetta.

O ministro também explicou que o isolamento de 14 dias é muito importante para evitar a aceleração da transmissão continuada, principalmente quando se trata de idosos. "A gente está modelando pra ver se trabalhamos com algumas interrupções e segurando, ao máximo, dos idosos, porque são eles que levam ao colapso do sistema. Protegendo ao máximo, isolando".

'O cenário que o mundo ocidental está trabalhando' é baseado com uma curva de explosão de casos nos três meses seguintes: "A gente deve entrar em abril e iniciar a subida rápida, que vai durar nos meses de abril, maio e junho, quando vai começar a ter uma tendência de desaceleração de subida. No mês de julho, deve começar o plateau e começar a mostrar a tendência de queda. Em setembro, uma queda profunda, como foi a queda de março na China".

Aumentou em 45% o número de pessoas infectadas com Covid-19 no Brasil entre quinta (19) e sexta-feira (20), segundo dados do Ministério da Saúde. Logo, quatro pessoas morreram nesse período, aumentando para nove óbitos em São Paulo e dois no Rio de Janeiro. Ao todo, são 904 casos confirmados do novo coronavírus em território nacional. Todos os estados da federação, excetuando Roraima e Maranhão, já registram casos. Ministro prevê disparo nas infecções entre abril e junho.

VAVEL Logo